A crise está aí… E agora?

crise 3

Os jornais, noticiários, blogs, nas redes sociais, no whatsApp só se fala na crise. Alguns dizem: – A crise é política. Outros dizem: – Nãoooo é econômica. – O Brasil vai quebrar! – Somos a nova Grécia! – Não consigo mais fazer uma feira de supermercado, pois os aumentos são absurdos…

Na minha opinião a crise é econômica, política e muito mais da incompetência, da inoperância, do egoismo generalizado, do mau caratismo desenfreado, do jeitinho Brasileiro, da falta de criatividade e da burocracia burra. Estamos vivendo um momento conturbado, de muita especulação, mas observo um fenômeno mais profundo nisso tudo, tudo o que está acontecendo é um retrato do que a nossa sociedade se tornou. Nós criamos esses bandidos de colarinho, eles são “gente da gente”, eles estão no meio de nós… Ainda bem que muitos que lerão esse texto ficarão P da vida com a comparação com esses “crápulas”… Ainda bem mesmo! Eu conheço muitas pessoas gente boa, bons amigos, bons pais, boas esposas. Desse grupo mesmo alguns furam fila, jogam lixo no chão, são péssimos funcionários públicos, outros sonham com o emprego público para serem péssimos funcionários, sonegam impostos, “adotam crianças” para diminuir do imposto de renda, vendem carros usados com defeito, são especialistas no jeitinho Brasileiro. São “gente da gente”!

Vocês estão cansados né? Todos estão.

E AGORA?

Agora temos uma ótima oportunidade de mudar, mudar nossa atitude, pois quando mudarmos, as pessoas ao nosso redor notarão que não concordamos com esses absurdos… Baseadas no nosso exemplo e não da boca pra fora, a mudança é de atitude, de postura, da educação que você dará para seu filho, da educação que você quer para seu filho. Com a crise temos a chance de olhar para nós mesmos e nos reinventar, não  podemos esperar acontecer temos que fazer acontecer.

O conhecimento é a base dessa mudança, não existe futuro longe da educação transformadora e eficiente. A partir dela que produziremos menos incompetentes, mais pessoas criativas e solucionadoras de problemas. Todos ainda tem tempo de mudar, de reaprender, de se reinventar e transformar a nossa realidade.

Em relação a ser mau caráter, corrupto e egoísta a mudança é mais complexa, mas possível, por que não?

Sou um otimista patológico.

Vasco Patú

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *