Sejamos gênios em gerar aprendizado

Recentemente me aconteceu um fato um tanto “intrigante”… Eu vinha passando pelo corredor na saída de um auditório após proferir uma palestra, quando fui abordado por uma aluna que me disse: – “Professor, quando eu crescer eu quero ser igual ao senhor!! Meu sonho é alcançar o seu nível de conhecimento!”. Confesso que fiquei bem orgulhoso e cheguei até a me sentir o “tal”… Mas após uma longa reflexão, fiquei decepcionado comigo mesmo, pois, no máximo, meus alunos querem apenas “ser igual a mim”.
Se pararmos para pensar na história científica da humanidade, temos, até hoje, nomes bem marcantes, que norteiam toda uma linha de pensamentos e de ideias. Quando falamos em evolução, lembramos de cara da Teoria da evolução; quando falamos em genética, lembramos logo dos cruzamentos das ervilhas; quando falamos em física, é inevitável não lembrar de E=MC², e por aí vai…
Então eu me pergunto (e te pergunto também), será que os nomes ligados aos exemplos acima queriam apenas “ser igual a mim” (seus mestres e professores)? Ou queriam algo mais? Queriam ir além?
E ainda pergunto mais… Se homens como estes não dessem “um passo” a mais que seus mestres (nestes casos acredito que vários…), será que estaríamos aqui hoje, neste ponto de evolução que nos encontramos?
Pois é acho que não… Foi então que refletir um pouco mais sobre ensino. Segundo o dicionário é: Ação, arte de ensinar, de transmitir conhecimentos (http://www.dicio.com.br/ensino/). E com esta definição, me assustei… pois não basta apenas “transmitir conhecimentos”, o ensino TEM que ser algo muito maior que isso!!! E continuei nesta reflexão inquietante e acabei por encontrar consolo em alguns pensamentos como:
Os progressos obtidos por meio do ensino são lentos; já os obtidos por meio de exemplos são mais imediatos e eficazes. (Séneca)
Tudo o que está morto como fato, continua vivo como ensino. (Victor Hugo)
Por tanto, quando encontrarmos algum aluno “morto” para o aprendizado, temos que torna-lo “vivo” através do ensino. E que o ensino apenas como “transmissão de conhecimentos” pode não levar a evolução!
Eis o desafio nos dias de hoje, nós professores, temos que “concorrer” a atenção dos alunos com um mundo muito sedutor, é wattsApp, Facebook, Instagran e tantas outras coisas que não nos basta mas apenas ensinar. Precisamos ser inovadores, estimuladores, instigadores, desafiadores e sobretudo inspiração. Temos que reinventar todos os dias a maneira de ensinarmos. Aí quem sabe o aluno vai chegar e dizer : – Professor, quando “crescer” quero ser melhor que o senhor! Meu sonho é conseguir obter o tanto de conhecimento que vejo no senhor e a ele somar tantos outros”!
Quando isso acontecer, pode ficar verdadeiramente feliz, pois a tarefa de ensinar foi obtida em sua essência! Andamos para frente no conhecimento, avançamos de verdade!! Que nossos alunos possam ser melhores que nós, e que nós sejamos gênios o suficiente para fazermos isso!
Viva a educação eficiente, viva a educação criativa!
Forte abraço.
Victor Netto Maia

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *