Podemos começar de novo?

E se dependesse de você tirar a sala de aula do marasmo?
E se dependesse de você fazer com que os alunos tirassem seus olhos dos smartphones e passassem a olhar para os outros, para eles mesmos, para frente?

E se fosse por sua vontade que as aulas se tornassem experiências que mudariam o curso da vida de alunos perdidos, sem a menor ideia do que fazer?
E se você tomasse consciência de que por causa de uma frase, uma atitude de apoio sua, a história de uma pessoa passou a ser brilhante?
E se você comprovasse o que seria da humanidade se você não estivesse à frente de uma sala de aula?
Essa a gente responde, Professor. Nada.

Em que mãos nosso futuro está? Nas dos nossos excelentíssimos representantes do legislativo, executivo e judiciário? Não. Se dependesse deles viveríamos à margem, sem respaldo.

O amor tem que ser próprio, a luta tem que ser constante e não há reclamação sem ação que te leve a lugar nenhum.

Respeito não se impõe se conquista e é investindo em conhecimento aliado a uma vontade insana de revolucionar a educação que iniciaremos uma nova fase num país que sempre está nas piores colocações em rankings educacionais.

Gabriela Patú

Professora e Gestora de Mídias Digitais

Iniciare Educação Criativa

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *