produtividade

Podemos começar de novo?

Podemos começar de novo?

E se dependesse de você tirar a sala de aula do marasmo? E se dependesse de você fazer com que os alunos tirassem seus olhos dos smartphones e passassem a olhar para os outros, para eles mesmos, para frente? E se fosse por sua vontade que as aulas se tornassem experiências que mudariam o curso da vida de alunos perdidos, sem a menor ideia do que fazer? E se você tomasse consciência de que por causa de uma frase, uma atitude de apoio sua, a Continue lendo

E se a educação fosse uma paciente terminal?

E se a educação fosse uma paciente terminal?

A ideia de finitude tem permeado minha existência. Aos 34 anos, passei a entender que ela existe e o quanto as pessoas a enxergam com negatividade e quase desespero. Num desses meus estudos sobre o fim de absolutamente tudo, me deparei com uma matéria inspirada no livro “The Top Five Regrets Of The Dying” (Os Cinco Maiores Arrependimentos de Pacientes Terminais), obra da enfermeira Bronnie Ware, que de tantos anos convivendo com pessoas à beira da morte, relatou os maiores remorsos dos que têm a Continue lendo

Aos Professores

Aos Professores

Somos apaixonados e vocês sabem como um apaixonado se comporta, né? Quem nunca sucumbiu a esse sentimento intenso que altera o comportamento e pensamento? Não há sossego, nem quando se torna real. A euforia, junto com as famosas borboletinhas no estômago é constante porque você não consegue parar de pensar naquilo que te tira a sensatez. Repito, somos apaixonados, mas pela oportunidade de assegurar a formação e o desenvolvimento intelectual e moral de um ser humano. Somos viciados nas cabeças erguidas que esperam que a gente Continue lendo

Quer um conselho? Fracasse.

Quer um conselho? Fracasse.

Incrível como todo mundo só costuma contar o fim da história. Os tropeços, o constrangimento da reprovação, a sensação de ter falhado, o desalento? Nada! As pessoas querem o final feliz, o auge. Eu não. Eu quero saber das suas noites em claro. E do quanto você chorou sozinho(a) para entender que nem sempre o que queria tinha que ser seu. Não, não tem. Deixe ir. Eu quero a dedicação a um projeto onde você derrama todo seu juízo e expectativas e ele simplesmente, não Continue lendo

Doidos ou doídos?

Doidos ou doídos?

“Entre doidos e doídos escolho não acentuar.” Mate Trotamundo Como Mate Trotamundo, escolho aqueles que a criatividade é tanta que a imaginação é tão mais divertida que invade a realidade. Escolho os transgressores com elegância e gentileza, que não fazem questão de enxergar o mundo preto e branco. Decido pelos ousados, de riso solto e mente aberta, opto pelos que esquecem a imposição do sistema e criam sua própria fórmula da felicidade. Nada de gurus, gente! Eles só querem vender frases feitas. Elas já nos Continue lendo

As coisas são como são, até que…

As coisas são como são, até que…

Final de ano traz a mesma sensação de autoavaliação e novas resoluções. Absolutamente nada vai mudar se você não tentar harmonizar o que faz, o que pensa e o que diz. A transformação obviamente não será milagrosa, requer dedicação, perseverança e quem as tiver, terá sem dúvidas, um feliz ano novo. Gabriela Patú Professora e Gestora de Mídias Digitais Iniciare Educação Criativa

“Amanhã eu fico triste… amanhã!

“Amanhã eu fico triste… amanhã!

“Amanhã fico triste… amanhã! Hoje não… Hoje fico alegre! E todos os dias, por mais amargos que sejam eu digo: Amanhã fico triste, hoje não…” Poema encontrado na parede de um dos dormitórios de crianças do campo de extermínio nazista de Auschwitz. Ao ler esse poema imaginei o desespero, a tortura, a solidão do campo de concentração. A maldade costuma fazer vítimas de forma violenta, injusta e isso revolta. Depois reli e enxerguei o oposto de antes: o divino, a esperança. “Amanhã eu fico triste, hoje Continue lendo

Por que deixamos tudo para depois?

Por que deixamos tudo para depois?

  A situação se repete todo ano: você promete que vai ter mais cuidado com seus compromissos mas no final das contas, acaba deixando tudo para última hora. É assim com a declaração do imposto de renda – que é enviada no último dia, com aquela matéria difícil – que só é lida na véspera da prova, com aquele projeto de vida – mas que você não sabe por onde começar. Todos nós somos um pouco procrastinadores (que ou aquele que procrastina, atrasa, adia algo). Continue lendo